5.9.17

Naquele Fim de Tarde Chuvosa

quando costumava ser eu e você
teu sorriso era largo (e frequente) 
teus olhos brilhavam sempre 
teu passo era calmo 
despreocupado 
inconsciente
hoje em dia é eu e o mundo 
você e outra gente 
eu não devia estar escrevendo isso
mas hoje eu te vi caminhando tao indiferente 
é inevitável não sentir 
e não observar 
que teu sorriso nunca mais teve a mesma leveza 
e que teus olhos as vezes transbordam tanta tristeza 
sei que a maioria não vê 
a maioria nunca vai saber 
mas eu sei que você sabe
não só sabe como sente 
que tudo agora anda assim tão diferente
nós nunca mais seremos os mesmos de antes 
correndo contra o vento com o frescor do ápice nas nossas guélas
descobrindo a essência de estar vivo
mesmo estando tão distante 
talvez eu esteja falando com a parede 
talvez eu esteja falando com a janela 
talvez você não sinta mais nada 
afinal eu sempre fui a que sente por dois 
se precisasse por três 
falo de você como se não tivesses me matado por dentro
é engraçado como suicido mentalmente todos os teus vacilos 
em prol da lembrança dos bons momentos
não sei mais quem você é 
provavelmente esse poema triste e desnecessário seja sobre o cara que eu me apaixonei
não sobre o cara que eu repugnei ao descobrir que desprezou um sentimento tao nobre 
e que já não havia mais pureza em seu coração 
estranha sensação boa de sobreviver aos efeitos colaterais da decepção
mas isso não importa 
afinal as nossas portas já se fecharam a muito tempo 
a chave se perdeu 
a magia morreu 
a vida continuou 
não sei se devo pedir desculpa
por ter notado sem querer teu pedido de socorro 
naquele fim de tarde chuvosa 
naquele vago olhar triste

29.8.17

Sinto Logo Existo

em todo o momento
em todo o lugar
existo
e sinto
(o que vivo)
da academia
a padaria
da faculdade
ao role
da rotina
a euforia
a alma só deseja absorver boa energia
e sintonizar na frequência exata
adquirindo experiência nata
de sentir e existir
enquanto o corpo só deseja se mover
e desbravar as noites e os dias
colecionando e alcançando estados de espírito
andar na rua é místico
independente do local
ali você é o que é
teu dia-a-dia
teus medos
tuas manias
andando juntos pela calçada
tranquilamente sob o sol
observando as outras vidas que ali também existem
no hoje
no agora
e em toda fração de realidade diária


16.8.17

@rroba

você sempre fora um mistério ambulante 
neutro
na sua
interessante 
mas eu gostava da ideia de você estar na minha 
boca 
cama
alma 
não importa 
importa que sempre gostei de mistérios 
lembro bem do dia que enfim deixamos de lado o dialogo vago e conversamos serio 
te enxerguei tão diferente que parecia ter uma lente (de alma)
eu só dava risada e você concordava
nesse mesmo dia adormeci no seu colo 
tudo era início e foi ali que você começou a ser meu vicio 
falo do que passou como se o presente não fosse bonito 
mas ele tem o mesmo gosto daqueles ápices eternizados 
se eu fosse descrever cada momento ao teu lado faltariam linhas 
afinal tu sempre preferiu a objetividade 
e eu sempre preferi as entrelinhas 
teu jeito me ajeita numa cama macia 
me faz carinho e muitas loucuras
não sei dizer se é alegria ou sintonia
talvez seja os dois 
ou talvez seja algo que no vocabulário ainda não exista 
paro pra pensar no meu novo mundo com a tua vinda 
tem a sensação de filme e poesia 
naqueles dias chuvosos em que só queremos algo que nos faça sentir viva 
a tua simplicidade me encanta e teu olhar mais ainda 
teu sorriso convida a me render-te a tuas sensações
você é uma droga pesada 
me causa efeitos alucinógenos
transforma a realidade em sonhar acordada 
confunde meus sentidos errôneos 
mas você não faz mal
pelo contrario e além
fostes a única droga que encontrei que realmente me fez bem
mostrou que felicidade não se compra 
não se ingere nem entorpece
se cultiva nos detalhes de quem sabe o que de fato prevalece 
nunca sei se escrevo o obvio ou o abstrato
pois quando paro pra falar de ti minha mente vira um emaranhado de emoções e átomos 
não consigo encontrar algo que defina perfeitamente o quanto gosto da nossa mania de criar e colecionar momentos
o quanto gosto de ver como a linha da tua boca se inclina pra um sorriso quando meu olho encontra o teu sem aparente motivo
até do teu drama eu gosto (as vezes) 
porque ele mostra como você é presente (passado e futuro)
sinto o que tu sentes
sinto que contigo posso pintar meu lado obscuro
podemos pintar ate o céu com as nossas cores 
e assim rir ate não saber mais em que ponto fica o inicio e o fim 
podemos ir pra nossa aquarela particular de amores
onde tudo ecoa de um jeito que só ocorre com você em mim  
vamos cavalgar pela colina de estrelas 
avistar estrelas cadentes mesmo sem vê-las
pedir algo que queremos muito
que provenha do ínfimo no intimo do nosso ser 
vou pensar em mil desejos mas sera difícil escolher 
pois a felicidade que tanto almejo já vai estar ali ao meu lado
materializada em você