19.7.17

To (nem) ai

se eu disser que to nem ai
saiba que ai é onde mais quero estar
espero que me tires logo daqui
e me leves pra acampar
quero fumar com você e reclamar da vida
ouvir musica boa e cantar
perder a noção do espaço tempo
perder nosso tempo e não ligar
quem sabe eu me sinta viva
quem sabe você possa me ressuscitar?


6.7.17

Maioria Minorias

ego enaltecido
do politico que comanda
a nação dos reprimidos
que aclama pela demanda
o salário mínimo que atrasa
e os direitos inexistentes
precisa-se de teto e de casa
mas não venhas pedir pra gente
tua cultura, índole e crença
de nada vale se não tiveres poder
queremos dar a tua sentença
e ainda invadir o teu ser
ser estar fazer evoluir
nesse mar de dedos que julgam
objetivos difíceis de concluir
gritos que calam
sopros murmuram
oprimidos falam
das dores do mundo


20.6.17

Momento Atemporal

encosto o dedo na ponta do meu nariz fazendo círculos enquanto penso na efemeridade da vida, chega a ser engraçado pensar que a unica coisa concreta que tenho é o hoje, o agora e esse exato instante em que toco no meu nariz sem motivo aparente e minha mente se dilui em reflexões e reflexos. queria ser atemporal. mas a atemporalidade é recheada de utopia. e eu sou recheada de momentos que me consomem além do espaço e do tempo. por que será que viver no agora, na respiração que entra e sai do meu pulmão, nos dedos que eu acabei de estralar, no meu olhar que encara essa tela e na minha vida que é concebida por esse singular, irreversível, e único momento, é algo tão complexo? acontece que a vida é feita de únicos momentos e pessoas são feitas de momentos únicos somados. aquela dualidade tênue entre estar e lembrar, ser e sentir. eu sou tudo que eu fui e serei tudo que eu sou mas a hora é o agora e o momento demora em uma eternidade.